Postagem em destaque

O biólogo frente aos estudos ambientais

A complexidade das questões ambientais requer o conhecimento e interação de diferentes profissionais de ramos da ciência. Os biólogos são os...

17 de agosto de 2017

Lista Oficial da Fauna Baiana Ameaçada de Extinção


Enfim , saiu a Lista de Espécies ameaçadas Da Fauna Baiana.
A lista de Espécies Ameaçadas é um instrumento de gestão para a conservação da fauna
como também deve ser usada em projetos de educação ambiental para sensibilização, principalmente 
quanto ao tráfico de animais silvestres.

Confira a Lista completa aqui




17 de junho de 2017

Alerta sobre o carrapato estrela na Barragem da Pedra



Se alguém ainda não foi vítima do ataque de  carrapato estrela (Amblyomma cajennense) certamente o será ao andar pela beira do lago da barragem da pedra pois a vegetação ciliar está infestado pelos carrapatos. Foram trazidos pelas capivaras (Hidrochoerus hydrochaeris)  que há mais de um ano chegaram a região em busca de alimentos das hortas cultivadas e dessedentação. Segundo relatos de moradores locais, fugiram de um criadouro na região do Castanhão e/ou foram soltas pelos órgãos ambientais em áreas de soltura a montante da barragem. Na mata ciliar, elas deixam os carrapatos fixado nas plantas onde acomete os hospedeiros principalmente o ser humano que passa pela beira do lago.

Os carrapatos estrelas se infectados pela bactéria (Rickettsia rickettsii) provoca a doença da Febre Maculosa. Ainda não há registros da febre aqui na região, mas relatos de pessoas da comunidade, pescadores e ribeirinhos que foram picados pelo aracnídeo.

Por isso, chamamos através deste post a atenção de moradores locais, comunidades ribeirinhas, pescadores bem como autoridades, órgãos ambientais, da vigilância epidemiológica e sanitária para o enfrentamento do problema nesta área de uso múltiplo da comunidade e população Jequieense.

Para saber mais acesse os post abaixo de pesquisadores da USP/ESALQ de Piracicaba esclarecem a população local onde a doença já afetou pessoas, inclusive com registro de óbitos.


http://www.esalq.usp.br/instituicao/docs/esclarecimentos.pdf
http://www.coisaspraver.com/2012/08/fotos-de-carrapatos-estrela.html


... conheça-um-pouco-sobre-os-animais: CAPIVARA: o maior roedor do Mundo



16 de junho de 2016

Flora das Reservas Particulares do Patrimônio Natural da Vale



A Vale lançou na sexta-feira (3/6), o livro “Sobre a flora das Reservas Particulares do Patrimônio Natural
da Vale – Guia de espécies ameaçadas, raras e endêmicas registradas”, em parceria com a Bioma Meio 
Ambiente. A publicação revela parte da riqueza de espécies raras, endêmicas ou ameaçadas que estão 
presentes em algumas das reservas da empresa no Quadrilátero Ferrífero. Com o objetivo de disseminar
esse conhecimento, a obra está disponível para download.
http://www.valeglobalcomm.com/gerenciador/documentosComInterna/Livro%20Flora%20RPPNs%20Vale/
Sobre_a_Flora_das_Reservas_Particulares_do_Patrim_nio_Natural_da_Vale.pdf

Reservas Particulares do Patrimônio Natural da Vale
As Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) são áreas privadas, pertencentes e protegidas pela
Vale. Por meio delas é possível garantir a integridade de importantes ambientes e todos os recursos neles 
presentes, o que beneficia não só a atual geração, como se torna um legado para as gerações futuras.
Apenas no Quadrilátero Ferrífero, em Minas Gerais, a Vale preserva mais de 50 mil hectares em áreas
verdes, dentre as quais estão 20 RPPNs. Estas áreas são 3,2 vezes maior que a das operações da empresa 
e nelas já foram mapeadas 409 nascentes que contribuem para a disponibilidade hídrica da região.
O livro é resultado do trabalho de cinco pesquisadores que, durante 60 dias, realizaram expedições em sete 
reservas de propriedade da Vale em Minas Gerais. A obra mostra a presença de 78 espécies em áreas 
próximas às operações da empresa e que, em conjunto com outras áreas protegidas ao redor, formam um
 externo complexo de biodiversidade.
A publicação deste livro é mais uma contribuição da Vale ao conhecimento científico no Quadrilátero 
Ferrífero. A intenção é colaborar para a discussão e elaboração de propostas de preservação de espécies
ameaçadas.
http://www.vale.com/brasil/pt/aboutvale/news/paginas/vale-lanca-livro-sobre-flora-reservas-particulares-
patrimonio-natural-vale.aspx

21 de maio de 2016

Participe do concurso cultural Wiki Loves Earth Brasil 2016

Tucanoçu - Ramphastos toco 06.jpg
Submeta seus vídeos e fotos sobre o patrimônio natural Brasileiro e concorra a R$10.000 em prêmios

Confira o regulamento do concurso!

Wiki Loves Earth é um concurso cultural internacional que visa a incorporação de fotos dos principais patrimônios naturais do mundo no Wikimedia Commons, incentivando fotógrafos e entusiastas a contribuirem com imagens para a ilustração de artigos da Wikipédia e demais projetos mantidos pela Wikimedia Foundation.
O concurso teve a sua primeira edição em 2013, organizado pela Wikimedia Ucrânia e a partir de então ganhou o mundo, sendo organizado em vários países, incluindo o Brasil a partir de 2014.
Neste ano, além do concurso fotográfico, estamos incluindo uma categoria de vídeos em caráter experimental. Então, além de fotografias, os participantes poderão enviar vídeos aéreos, vídeos panorâmicos, vídeos de observação animal e detalhes da flora e fauna para concorrerem em uma nova categoria do concurso.
Basicamente, o WLE é dividido em duas etapas:
  1. Etapa Nacional
    • Datas: Envio de fotos entre os dias 7 de Maio a 30 de junho de 2016 com o anúncio dos vencedores no dia 31 de julho de 2016, neste ano também incluímos a categoria de vídeos.
    • Descrição: Nesta etapa serão selecionadas as 10 melhores fotos que serão enviadas para concorrer na etapa internacional e serão eleitos os melhores vídeos, que receberão a premiação nacional.
  2. Etapa Internacional
    • Datas: A partir do dia 1 de julho de 2016
    • Descrição: Nesta etapa as 10 melhores fotos de cada país serão avaliadas por um júri internacional para eleger as 10 melhores fotos do mundo com anúncio previsto para 15 de setembro.
Obs: Os vídeos não fazem parte da etapa internacional.
Em 2014 o WLE Brasil contou com a participação de 950 fotógrafos de todos os cantos do país e foram carregadas cerca de 7.000 fotos até o término do concurso noWikimedia Commons.
A foto vencedora da etapa brasileira foi eleita a segunda melhor foto na etapa internacional e também foi eleita como a sétima melhor foto no concurso Foto do Ano de 2014 no Wikimedia Commons em 2014.
Além da grande visibilidade e matérias publicadas em vários canais de notícias online, as 10 melhores fotos foram publicadas na Edição de Agosto da Revista Fotografe Melhor da Editora Europa, Londres. Para fechar a edição de 2014, realizamos umaexposição fotográfica durante o evento Paraty em Foco na Casa da Cultura de Paraty.
Em 2015 o WLE Brasil contou com a participação de 1935 fotógrafos e mais de 12.000 fotos foram carregadas no Wikimedia Commons.
Este ano pretendemos ampliar ainda mais nossos resultados, atraindo mais colaboradores e milhares de fotos e vídeos de alta qualidade para ilustrar a Wikipédia!
Acompanhem as novidades do concurso pelo link:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Wikip%C3%A9dia:Wiki_Loves_Earth_2016/Brasil/Lista/Bahia

5 de maio de 2016

PRORROGAÇÃO DO CAR PARA PEQUENOS PRODUTORES ATÉ 2017

Pequenos poderão fazer CAR até maio de 2017

04/05/2016
Pequenos poderão fazer CAR até maio de 2017
Pequenos poderão fazer CAR até maio de 2017
Medida Provisória editada pela presidência prorroga inscrição no CAR, com direito aos benefícios, por mais um ano para imóveis com até quatro módulos fiscais

Uma medida provisória assinada pela presidente da República, Dilma Rousseff, prorrogou para o dia 05 de maio de 2017 o prazo para que os imóveis com até quatro módulos fiscais façam o Cadastro Ambiental Rural (CAR), com direito aos benefícios trazidos pelo Código Florestal, Lei N° 12.651/2012. A MP N° 724 foi publicada no Diário Oficial de hoje, 05/05.
A prorrogação dos benefícios associados ao Programa de Regularização Ambiental (PRA) vale apenas para as propriedades ou posses rurais com menos de quatro módulos fiscais, unidade de medida que varia de acordo com o município do país, indo de 5 a 110 hectares.
Segundo o diretor geral do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente e responsável pela gestão do CAR, Raimundo Deusdará, a medida foi uma maneira de ampliar a inclusão dos agricultores familiares, tendo em vista que estes, conforme o Código Florestal, tem direito a apoio do Poder Público. “Uma característica do novo Código é tratar os diferentes de maneira diferente. Com a prorrogação do prazo, teremos mais um ano para prestar apoio aos pequenos, conforme previsto na Lei”, afirmou.
Deusdará explica que o Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural (SiCAR) continuará disponível para todos os proprietários ou possuidores, contudo, os cadastros de imóveis com mais de quatro módulos fiscais que forem feitos após o dia 05/05/2016 não terão acesso aos benefícios vinculados ao Programa de Regularização Ambiental (PRA).
Sobre os números do CAR, o diretor conta que a expectativa é que mais de três milhões de imóveis rurais façam o cadastro e que a área cadastrada alcance 330 milhões de hectares até o final do dia de hoje (05/05). Área que corresponde a quase dez vezes o tamanho da Alemanha.
“É importante ressaltar que, mesmo encerrado o prazo para ter direito aos benefícios associados ao PRA, os proprietários de imóveis com mais de 4 módulos fiscais devem fazer o cadastro. A inscrição no CAR será exigida pelas instituições financeiras para concessão de crédito agrícola e também dá ao produtor acesso aos mercados que já vem exigindo o cadastro com comprovação da regularidade ambiental”, explica.
Deusdará informa também que a partir das 0h do dia 06/05 o SiCAR passará por manutenção e o cadastramento estará temporariamente indisponível.
Confira aqui a tabela com a relação do módulo fiscal por município.

http://www.florestal.gov.br/noticias-do-sfb/pequenos-poderao-fazer-car-ate-maio-de-2017

6 de outubro de 2015

Evento em Jequié discute Metodologias de Restauração Florestal para o Bioma Caatinga


A Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) promoveu nos dias 01 e 02/10 no auditório da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), uma reunião ampliada do Manual de Restauração no Bioma Caatinga. O objetivo do encontro elaborar parâmetros técnicos das metodologias de restauração florestal do Estado, de forma a aprimorar a qualidade técnica dos Projetos de Recomposição de Áreas Degradadas e Alteradas (PRADA), e contribuir para a melhoria dos processos administrativos relacionados à aprovação e monitoramento dos projetos pelo Inema.

De acordo com o Coordenador na Diretoria de Políticas de Biodiversidade e Floresta (DPBio) da Sema, Pablo Rebelo, o evento tem grande importância para o Estado da Bahia, uma vez que proporciona o amplo diálogo com os principais atores locais, especialistas, restauradores, instituições e órgãos do governo relacionados à restauração florestal e da vegetação nativa no bioma caatinga. "O aprimoramento do Programa de Regularização Ambiental (PRA) e de suas metodologias, certamente contribuiriam para o avanço das ações de políticas públicas e de restauração florestal no estado".

O evento contou com a apresentação dos consultores da empresa de restauração florestal Bioflora, que avaliaram diversas experiências em instituições que vem implantando projetos de recuperação da vegetação nativa da caatinga. "Esse encontro é extremamente importante, tanto do ponto de vista de oferecer recomendações e subsídios técnicos para recuperação dos passivos ambientais nas propriedades rurais, quanto para fortalecer o diálogo sobre a questão da restauração do bioma caatinga", explicou a coordenadora Geral das Equipes do Laboratório de Ecologia e Restauração Florestal (Lerf) e Bioflora, Júlia Raquel Magueira. "Este bioma vem sendo continuamente degradado e de forma muitas vezes silenciosa, o que aumenta a importância de momentos de discussão como este evento", disse, afirmando que todos os debates que aconteceram aqui servirão como base para nortear as ações de restauração do bioma e para gerar demandas tanto de pesquisa quanto para fortalecer toda a cadeia da restauração.

Segundo a Especialista em Restauração da The Nature Conservancy Brasil (TNC), Vanessa Jó Girão, a ação foi de grande relevância, ainda mais por tratar do bioma caatinga, que é tão pouco discutido e ao mesmo tempo abrange a maior parte do estado da Bahia. "Acreditamos muito nesse projeto, com parceria da Sema/Inema, que permite ampliar a escala e qualidade das ações de restauração, muito também por ter participação de diversas instituições e interessados no tema".

Fonte: Ascom/Sema